Os melhores posts de Outubro



Esse mês rolaram muitos posts bons pela blogosfera. Segue aí uma lista dos que mais gostei pra vocês visitarem e conhecerem também!

A Tay escreveu um post comovente sobre o fim dos relacionamentos. Não tem como não se identificar!

A Stephanie contou um pouco pra gente as dificuldades e frustrações de viver sozinha, principalmente na hora de fazer compras no supermercado.

A Loma indicou alguns livros sobre a Coreia do Norte, uma das nações mais isoladas do mundo.

A Leslie deu uma aula sobre moda Hi-Lo, aquele estilo super moderno que mistura roupas casuais e formais.

Por fim, a Gabi trouxe alguns jogos de celular muito divertidos e viciantes!

Viu algum post que achou legal? Recomenda nos comentários!

5 jogos de simulação para relaxar



Jogar videogames de simulação tem sido minha opção primária de passatempo desde que eu me entendo por gente (reza a lenda que eu me mexia na barriga da minha mãe quando meu pai jogava Castlevania). Seja para curtir o final de semana, um feriado prolongado ou depois de um dia cansativo, eles são a melhor opção pra relaxar. Então selecionei 5 jogos deste gênero (que não são the sims) para compartilhar com vocês.

House Flipper

Plataformas: PC, IOS e Android.

Comecei com o mais relaxante de todos. Já vi gente que não suporta jogar videogames me dizer que está viciada nesse aqui. A proposta é bem simples: você é um empreiteiro/corretor e sua tarefa é comprar casas horríveis, limpar, reformar e revender por um bom preço.




Prós: se você gosta de decoração e assistiu tanto irmãos à obra quanto eu, esse jogo é a realização de seus sonhos mais loucos envolvendo jardins com piscina e cozinhas com conceito aberto. A trilha sonora também é uma delícia de se ouvir.
Contras: Eu joguei apenas no PC e ele apresenta muitos bugs. As vezes as portas somem e a extensão recentemente adicionada de reforma do jardim falha de vez em quando e não te permite realizar algumas tarefas (é preciso reiniciar o game).

Graveyard Keeper

Plataformas: PC, Xbox One, Switch, Playstation 4, Android, IOS, Mac e Linux

Como o próprio nome já diz, neste jogo você é o coveiro daquela típica vila "medieval". Ah, você também é o padre... E o alquimista, mercador, fazendeiro e assim por diante. E eu mencionei que você veio de outro mundo e seu principal objetivo é voltar pra sua amada? Pois é, além de simulador esse jogo também contém elementos de RPG, dando espaço pra fazer muita coisa e realizar múltiplas tarefas.




Prós: Ele roda em praticamente qualquer plataforma e console. Os gráficos são muito bem feitos e quase não há bugs.
Contras: o progresso do jogo as vezes é bem lento, é preciso ter paciência pra upar o personagem e poder continuar com a história. Além disso é um jogo de nicho, pode não agradar a todos.

This is the Police

Plataformas: PC, Xbox One, Switch, Playstation 4, Android, IOS, Mac e Linux

Neste jogo você é Jack Boyd, um chefe de polícia que está à beira da aposentadoria e precisa lidar com escandâlos políticos e um homem misterioso enquanto comanda uma delegacia de polícia no final dos anos 80.




Prós: o jogo possui múltiplos finais, permitindo rejogabilidade. A trilha sonora é digna de premiação.
Contras: Mesmo possuindo uma progressão lenta, não encontrei nada que realmente possa ser um defeito, esse jogo é excelente em todos os sentidos.

Game Dev Tycoon

Plataformas: PC, Android, IOS, Mac e Linux

Imagine-se no final dos anos 80 na garagem de sua casa. Só o que você possui é um Commodore 64 e o sonho de possuir uma desenvolvedora de games. Essa é a proposta de Game Dev Tycoon, um jogo onde seu desafio é ter uma desenvolvedora de sucesso.




Prós: Consegue ser educativo! Aprendi o básico do desenvolvimento de jogos através dele, o que é muito legal pra quem se interessa por essa área.
Contras: Como o Graveyard Keeper, Game Dev Tycoon é um jogo de nicho. Se você não se interessa por história dos games e game design, dificilmente vai achar graça neste aqui.

Bridge Constructor Medieval

Plataformas: PC, IOS e Android

Não há muito o que dizer. Seu reino está em guerra e é preciso reforçar as pontes para sobreviver aos tempos difíceis. Fornece um desafio muito divertido com a dificuldade aumentando a cada puzzle resolvido.




Prós: Extremamente simples e intuitivo
Contras: A física do jogo pode ser complexa demais e atrapalhar a jogabilidade de vez em quando.

A incrível arte de se manter ocupada enquanto você não trabalha

Estar desempregada e sem estudar é um tédio. Quero dizer, você acorda e... Nada pra fazer... Almoça e... Nada pra fazer... E é assim por diante todo dia, o dia todo.

Cansada dessa monotonia eu resolvi me mexer. Sabia que na internet não tem só fake news? Na verdade tem muita coisa boa e gratuita pra se fazer (incluindo blogar). Recenetemente eu descobri o incrível mundo dos cursos EAD gratuitos e vim aqui falar de uma plataforma muito legal chamda edX.


Fundada por Harvard em parceria com o MIT, a edX se propõe a oferecer cursos online de qualidade nas mais diferentes áreas do conhecimento, acadêmicas ou não. Seus cursos são 100% organizados pelas universidades que participam da plataforma. Ela é sem fins lucrativos e totalmente open source.

Os cursos são muito variados, dá pra fazer desde curso de espanhol pela Universidade Politécnica de Valência até aprender mais sobre arquitetura chinesa com o curso fornecido pela Universidade Tsinghua. Há ainda cursos de mestrado em EAD, por universidades internacionais renomadas. Vale lembrar que nem tudo é gratuito, mas o que você gasta no site em certificações (que são opcionais) são revertidas pra manutenção da plataforma e dos cursos fornecidos.

Eu por exemplo comecei um sobre o uso de objetos no ensino de História e estou chocada com a qualidade. Você pode conversar com os colegas e tirar dúvidas diretamente com os professores sobre as atividades. Os materiais extras também são fornecidos gratuitamente na plataforma e quaisquer materiais extras necessários são encontrados facilmente na internet - eles levam a coisa do open source a sério!

Eu diria que a única desvantagem dessa plataforma é que a maioria dos cursos são oferecidos em inglês (mas tem em português também). Porém, sendo um projeto internacional e criado por universidades dos EUA, faz sentido.

Pelo menos agora eu ocupo uma parte do meu dia com algo interessante e que agrega pra minha formação. E vocês, o que fazem quando estão parados em casa?

Jojo Ramen

Há um tempo atrás estive no Jojo Ramen em São Paulo, uma das melhores casas de lámen japonês aqui da cidade.

Imagem retirada do site oficial
Se você é como eu e ama um macarrão quentinho e cheio de caldo, prepare o bolso e a paciência. Como todo lugar famosinho aqui em SP, os preços são bem salgados e a fila de espera é longa. Porém, existe uma vantagem: ao chegar no restaurante, você obtém um número na fila de espera pelo app do restaurante, aí é só ficar de olho pra não perder a sua mesa. Meu namorado e eu até aproveitamos pra passear no Shopping Pátio Paulista e beber um suco natureba enquanto esperávamos nossa vez.

O ambiente consegue ser pequeno e aconchegante, mesmo sendo um restaurante grande e com uma capacidade razoável. O trabalho com a iluminação e com a utilização de mesas e cadeiras confortáveis te fazem se sentir em casa - apesar das pessoas e do barulho - o que só faz a refeição ser ainda mais gostosa.

O cardápio funciona como um "monte seu prato", com sugestões do próprio restaurante. Dessa forma, dá pra personalizar o tipo de macarrão, o caldo e os toppings. Pra completar, eles também sugerem drinks pra harmonizar com o seu pedido. Também dá pra pedir entradas e há uma opção para o almoço durante a semana, já que o Jojo está localizado numa região bem comercial e movimentada.

Entrada

Pra abrir o apetite, optamos pelo Pork Bun "pãezinhos chineses recheados com chashu picado e marinado no shoyu e com molho especial da casa" (via site oficial).

O porco estava perfeitamente cozido e suculento (ajudado pela marinada de shoyu) e o pãozinho derretia na boca, o que me faz pensar que ele provavelmente foi cozido no vapor. A única desvantagem - se é que dá pra chamar assim - é que como ele vem muito rechado você precisa comer de uma mordida só, senão o recheio vai cair e fazer uma sujeirinha. Resumindo: uma delícia!

Prato principal

Para o prato principal, escolhi um futomen (macarrão do tipo mais grossinho) com caldo à base de missô e os toppings sugeridos: nori, lombo de porco, vegetais variados e o ovo cozido ao estilo japonês, um pouco mais mole do que a gente costuma comer no dia a dia - o meu favorito!

Um problema que eu tenho com caldos a base de missô é que ele costuma ficar com um sabor forte e amargo de soja, além de frequentemente ficar salgado. Aqui ele foi colocado na medida certa, ficou bem suave e harmonizou super bem com os toppings, principalmente o lombo. O futomen também absorveu bem o sabor, uma coisa que nem sempre acontece em outros lámens que já comi por aí.

Bebidas

Por fim, as bebidas. Afinal, eu é que não vou pagar um rim numa comida maravilhosa dessas e beber refrigerante junto né? Escolhemos provar uma cerveja artesanal sugerida pelo garçom, a Dádiva Munich Dunkel. Bem leve e levemente amarga, ela combinou muito bem com o sabor rico do lámen.

Pra finalizar, não resistimos e resolvemos provar um dos saquês sugeridos também. O eleito foi o Hakutsuru Hisho Dry, que o garçom nos serviu generosamente em um copo (quase) de tamanho americano. Preciso dizer que pra gente, foi saquê demais e a bebemos só uns golinhos, infelizmente. Mas pra pessoas mais apreciadoras da bebida, é uma dose bem grande de saquê de qualidade, então vale a pena.

O veredito? Vale a pena ir no Jojo se você é fã de lámen japonês, mas pelo preço não recomendo experimentadores de primeira viagem. De toda forma vá bem acompanhado para apreciar a comida gostosa e o ambiente aconchegante!